Sobre

O Dicionário ALICE desafia-nos a explorar a diversidade epistemológica e cultural do mundo e a possibilidade de um pensamento crítico contemporâneo comprometido com os processos de reinvenção da emancipação social levados a cabo a partir de práticas concretas em contextos específicos. Neste sentido, conta com a contribuição de um amplo conjunto de colaboradores/as, académicos/as, artistas, escritores/as e/ou ativistas, provenientes de diferentes países e de variados campos de investigação e atuação. Este dicionário representa um processo de construção coletiva de um conhecimento que aspira contribuir para o processo de reconstrução de um mundo onde caibam muitos mundos, evitando a simplificação do complexo, a redução do diverso ao uniforme e, consequentemente, a universalização metonímica do local. Em sintonia com a filosofia de base das Epistemologias do Sul, o dicionário tem como principal objetivo captar, a partir do diálogo intercultural e interpolítico, da ecologia de saberes, a complexidade e a riqueza epistémica do Sul global desafiando as leituras hegemónicas e monoculturais do mundo.


O Dicionário ALICE assume o desafio de desconstruir as imagens distorcidas e estranhas que os espelhos coloniais (re)produzem, para reconhecer e valorizar a multiplicidade de originais que subjazem nas imagens refletidas. Este Dicionário pretende ampliar as possibilidades de conhecer o mundo mais além das normas e hábitos mentais que dificultam pensar e atuar de outro modo, avançando para modos de pensamento e ação alternativos baseados em quatro ideias fundamentais: 1) a diversidade epistémica do mundo é infinita e nenhuma teoria geral consegue dar conta desta diversidade; 2) a compreensão do mundo excede a compreensão eurocêntrica do mundo; 3) não há falta de alternativas no mundo; o que faz falta é uma teoria alternativa de alternativas, expressa através da ecologia de saberes, combinada com a tradução interpolítica e intercultural; 4) não pode haver justiça social global sem justiça cognitiva (Santos, 2018). Como várias entradas apontam, a transformação social, política e institucional no Norte global pode beneficiar-se das tradições de conhecimento e das inovações que se produzem nas regiões e países dos quais o Norte é cada vez mais interdependente. Neste sentido, este dicionário não pode realizar-se com um enfoque convencional. A sua especificidade, pelo contrário, consiste em ser um projeto epistémico-político que, sem renunciar ao rigor e a objetividade da análise, procura estar ao serviço de práticas contra-hegemónicas que merecem respeito e devem ganhar credibilidade: saberes não científicos, epistemologias subalternas, práticas sociais e projetos políticos ignorados e oprimidos pelo capitalismo, o heteropatriarcado e o colonialismo.


O Dicionário ALICE é um instrumento potencializador do pensamento crítico e emancipador, o que, desde os parâmetros das Epistemologias do Sul, implica a exigência epistemológica e metodológica de “aprender a partir do Sul e com o Sul” (Santos, 1995: 508). Assim, a contribuição do Dicionário à ampliação das possibilidades de conhecer o mundo é dupla. Por um lado, pretende ajudar a visibilizar e credibilizar experiências de construção de conhecimento a partir das lutas sociais e populares desenvolvidas no Sul global; por outro, e ao mesmo tempo, busca revelar as contradições, limites e possibilidades de tradução, articulação e enriquecimento mútuo entre estas experiências de conhecimento que lutam por outros mundos possíveis, mostrando alternativas às atuais tendências à injustiça social global e ao desenvolvimento insustentável que se verificam no Norte global, sob o domínio da globalização neoliberal.

 


O Dicionário ALICE é uma publicação que se insere nos resultados do projeto - ALICE Espelhos estranhos, lições imprevistas: definindo para a Europa um novo modo de partilhar as experiências do mundo, coordenado por Boaventura de Sousa Santos, e recebeu fundos do Conselho Europeu de Investigação, 7.º Programa Quadro da União Europeia (FP/2007-2013) / ERC Grant Agreement n. [269807].


Santos, Boaventura de Sousa (1995), Toward a New Common Sense. Law, Science and Politics in the Paradigmatic Transition. New York: Routledge.

Santos, Boaventura de Sousa (2018). The End of Cognitive Empire: The coming of age of the epistemologies of the South. Durham, NC: Duke University Press.

 

Informação editorial

O Dicionário ALICE está aberto, em permanência, a novas entradas e contributos propostos pelas/os leitoras/es e utilizadoras/es, reafirmando-se enquanto publicação processual, coletiva e cumulativa. Este dicionário, através de entradas inovadoras e de leituras diferenciadas de conceitos conhecidos, procura reconhecer e explorar a diversidade epistemológica do mundo. De acordo com este objetivo, as/os autoras/es não têm necessariamente de usar linguagem ou jargão científico, podendo recorrer a linguagem criativa, poética, corrente, etc., alargando a forma como escrevemos o mundo.


Para propor e redigir uma entrada:


1. Cada entrada será assinada pelo(s) respectivo(s) autor(es), podendo ser redigida individualmente ou em co-autoria.

 

2. As entradas podem ser redigidas e publicadas em Português, Espanhol e Inglês. Mas isto não significa que não se possam usar conceitos oriundos de outras línguas, como Ayllu, Ubuntu, Dalit, etc.

 

3. No caso de uma entrada simples: o tamanho do texto não deverá ultrapassar as 800 palavras (incluindo as referências para ‘ler e conhecer mais sobre o assunto’).

 

4. No caso de uma entrada complexa, isto é, conceito/prática que engloba em si várias dimensões ou que a ele/a estão agregados outros conceitos/práticas correlacionados, cada sub-entrada deverá manter uma relação de equilíbrio com as restantes, devendo o conceito aglutinador não ser demasiado desproporcional em relação aos outros em termos de dimensão. Na sua totalidade, o tamanho do texto não deverá ultrapassar as 1600 palavras (incluindo as referências para ‘ler e conhecer mais sobre o assunto’).

 

Exemplo 1: Democracia (participativa, deliberativa, representativa, etc). Exemplo 2: Ayni (Marka; Ayllu; Qullasuyu; outros conceitos relacionados). 

 

5. Todas as entradas, simples ou complexas, devem ser acompanhas por um máximo de três referências ou ‘para ler conhecer mais sobre o assunto’. A formatação das referências deverá seguir as regras da RCCS - secção VI. Os textos enviados não poderão ter notas de rodapé/footnotes, adequando-se assim à publicação em página digital.

 

6. As entradas devem ser completadas com uma pequena nota biográfica das/os autoras/es, com um máximo de 45 palavras (não exceder). A nota biográfica será incluída na(s) entrada(s) da/o autor/a em causa.

 

7. As dúvidas e propostas de novas entradas deverão ser propostas à coordenação editorial do Dicionário ALICE, através do email: dicionarioalice@ces.uc.pt. Os textos das novas entradas também deverão ser enviados à coordenação editorial do Dicionário Alice.

 

8. Os textos enviados serão sujeitos a peer-review e, sempre que necessário, serão apresentadas sugestões de revisão aos autores. 

 

9. O Dicionário ALICE reserva-se o direito de publicar ou não os trabalhos recebidos, comprometendo-se a informar os/as autores/as da decisão a que tenha chegado e dos seus fundamentos.

 

10. Depois de publicadas, as entradas poderão ser futuramente revistas e alteradas pelas/os seus próprias/os autoras/es, atualizando o seu conteúdo, mantendo o texto, em tamanho e conteúdo, dentro dos requisitos listados.


11. Cada entrada/conceito poderá também ser desafiada, alargada e discutida por outras/os intervenientes, numa página anexa, ampliando o seu conteúdo. Para tal, deverão enviar os vossos pedidos e comentários (máximo de 300 palavras) para o Conselho Editorial através do email já indicado, acompanhados de nota biográfica (máximo de 45 palavras).

 

12. Lembramos as/os autoras/es que deverão redigir as suas entradas cumprindo todos os padrões de ética e boas práticas, com rigor e  honestidade, assegurando a originalidade da/s sua/s contribuições para a publicação.

 

13. O Dicionário ALICE não aceita textos já publicados.

 

 

Editor: CES / ALICE
ISBN: 978-989-8847-08-9

 

Conselho editorial

Coordenadores

 

Boaventura de Sousa Santos

Maria Paula Meneses

Mara Bicas

Susana de Noronha

René Ramírez

 

Editor: CES / ALICE

ISBN: 978-989-8847-08-9

 

 

 

 

 

 

Contactos

Dicionário ALICE

 

Endereço:

Centro de Estudos Sociais (Alta)

Colégio de S. Jerónimo

Largo D. Dinis

Apartado 3087

3000-995 Coimbra, Portugal

 

Tel.: +351 239 855 570
Fax: +351 239 855 589

 

Email: dicionarioalice@ces.uc.pt 

URL: http://alice.ces.uc.pt/dictionary/